5 Motivos para voltar a acreditar no Setor Petróleo em 2017

1. Novos Leilões Programados da ANP

Depois de uma longa temporada sem novos leilões, a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) prevê o retorno das rodadas de licitações para o 2º semestre de 2017. A última rodada de concessões foi em 2015 e a de partilhas do Pré-Sal em 2013.

No ano que já se aproxima teremos a 14ª de concessões e a 2ª rodada de partilha de blocos do Pré-Sal com grande potencial, entre eles uma segunda parcela da jazida de Carcará. A conservadora expectativa de arrecadação do governo gira entre R$4 e R$5 bilhões.

Magda Chambriard, ex-diretora-geral da ANP, anunciou as rodadas de 2017.

Magda Chambriard, ex-diretora-geral da ANP, anunciou as rodadas de 2017.

2. Exclusão do Conteúdo Local nas rodadas de 2017

Os critérios de Conteúdo Local exige que as petroleiras contratem em suas atividades uma cota mínima de fornecedores brasileiros, o que seria bom para fomentar a indústria nacional. No entanto, à medida que os investimentos e a demanda cresceram muito mais do que a indústria local, a regra se tornou um gargalo que limitava a competitividade do petróleo brasileiro.

Muitas vezes, para explorar o petróleo brasileiro, a empresa era obrigada a pagar 40% mais caro em conteúdo local. Com a previsão de deixarmos o critério de lado nas rodadas de 2017, a expectativa é de aquecimento dos investimentos no Setor.

Multas aplicadas às empresas que não respeitam o conteúdo local

3. OPEP anunciou intenção de manter barril entre 55 e 60 dólares

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) anunciou um vultoso corte de produção recentemente, junto a México e Rússia, produtores que não fazem parte do cartel. Por conta dessa diminuição na oferta, o preço do barril de petróleo escalou rapidamente 16,9%.

A expectativa é que o valor do barril se estabeleça em 60 dólares em 2017, viabilizando custos de produção mais elevados como os do Pré-Sal.

Preço do Barril OPEP

Elevação do preço do barril depois que a OPEP decidiu cortar a produção.

4. Petrobras livre de ser operadora de todos os blocos

Recentemente a Petrobras se viu livre da obrigação de participar como operadora de pelo menos 30% de todos os blocos licitados. A empresa comemorou o fato de poder voltar a escolher quais campos quer e pode explorar, o que significa um novo fôlego depois de tantos baques sofridos pela estatal.

A mudança nas regras promete também atrair investimentos estrangeiros, como fica evidente no quinto motivo.

5. Empresas estrangeiras prometem investimentos bilionários

Com o novo marco regulatório, grandes empresas estrangeiras prometem investimentos bilionários no Brasil. O presidente mundial da Shell, por exemplo, afirmou que a empresa investirá US$ 10 bilhões no Brasil até 2020 e elogiou o projeto que desobriga a Petrobras a ser operadora única do pré-sal

Prepare-se para a nova guinada do Setor Petróleo:

Especialize-se com a pós-graduação da Coppe UFRJ e torne-se o profissional que o Setor vai precisar em 2017. O Processo Seletivo da 38ª turma de especialistas já está aberto.

Mais Informações    Contato